Oscar Araripe
Início Algumas Exposições Coleções Posters O Pintor Artigos Minha Vida de Pintor A Fundação Links Arte para Salas de Aula Contato
A Dança do Tamanduá Bandeira
Califórnia / San Simeon
Porto Seguro
Cavalo de Tiradentes
Trancoso, Casinhas e Marinhas
O Tarot de Oscar Araripe
Ceará / Marinhas, Araripe, Bárbara e Iracema
Casitas Cubanas
Porto Seguro / Bicos-de-pena
Repetróglifos Caribenhos
Tiradentes / Bicos-de-pena
Uma Primavera Americana
Tiradentes Revisitada
Flores Novíssimas
Pinturas Recentes
Flores Cubanas
Jarros de Flores
O Brasil Nunca Mais o Brasil
Tiradentes, o Animoso Alferes
Caraíva dos Reflexos
A Dança do Tamanduá Bandeira
Califórnia / San Simeon
Porto Seguro
Cavalo de Tiradentes
Trancoso, Casinhas e Marinhas
O Tarot de Oscar Araripe
Ceará / Marinhas, Araripe, Bárbara e Iracema
Casitas Cubanas
Porto Seguro / Bicos-de-pena
Repetróglifos Caribenhos
Tiradentes / Bicos-de-pena
Uma Primavera Americana
Tiradentes Revisitada
Flores Novíssimas
Exposições
Currículo
Vida, Literatura e Afins
Literatura
O Pintor
A Dança do Tamanduá Bandeira
Califórnia / San Simeon
Porto Seguro
Cavalo de Tiradentes
Trancoso, Casinhas e Marinhas
O Tarot de Oscar Araripe
Ceará / Marinhas, Araripe, Bárbara e Iracema
Casitas Cubanas
Porto Seguro / Bicos-de-pena
Repetróglifos Caribenhos
Tiradentes / Bicos-de-pena
Uma Primavera Americana
Tiradentes Revisitada
Flores Novíssimas
Pinturas Recentes
Flores Cubanas
Jarros de Flores
O Brasil Nunca Mais o Brasil
Tiradentes, o Animoso Alferes
Caraíva dos Reflexos
A Dança do Tamanduá Bandeira
Califórnia / San Simeon
Porto Seguro
Cavalo de Tiradentes
Trancoso, Casinhas e Marinhas
O Tarot de Oscar Araripe
Ceará / Marinhas, Araripe, Bárbara e Iracema
Casitas Cubanas
Porto Seguro / Bicos-de-pena
Repetróglifos Caribenhos
Tiradentes / Bicos-de-pena
Uma Primavera Americana
Tiradentes Revisitada
Flores Novíssimas
Arte nas Escolas / Arte-educação é fundamental / Educa, ensina, sensibiliza e eleva os professores e os alunos.
Escola Caracol / Porto Alegre / RGS
A Dança do Tamanduá Bandeira
Califórnia / San Simeon
Porto Seguro
Cavalo de Tiradentes
Trancoso, Casinhas e Marinhas
O Tarot de Oscar Araripe
Ceará / Marinhas, Araripe, Bárbara e Iracema
Casitas Cubanas
Porto Seguro / Bicos-de-pena
Repetróglifos Caribenhos
Tiradentes / Bicos-de-pena
Uma Primavera Americana
Tiradentes Revisitada
Flores Novíssimas
Pinturas Recentes
Flores Cubanas
Jarros de Flores
O Brasil Nunca Mais o Brasil
Tiradentes, o Animoso Alferes
Caraíva dos Reflexos
A Dança do Tamanduá Bandeira
Califórnia / San Simeon
Porto Seguro
Cavalo de Tiradentes
Trancoso, Casinhas e Marinhas
O Tarot de Oscar Araripe
Ceará / Marinhas, Araripe, Bárbara e Iracema
Casitas Cubanas
Porto Seguro / Bicos-de-pena
Repetróglifos Caribenhos
Tiradentes / Bicos-de-pena
Uma Primavera Americana
Tiradentes Revisitada
Flores Novíssimas
Exposições
Currículo
Vida, Literatura e Afins
Literatura
O Pintor
A Dança do Tamanduá Bandeira
Califórnia / San Simeon
Porto Seguro
Cavalo de Tiradentes
Trancoso, Casinhas e Marinhas
O Tarot de Oscar Araripe
Ceará / Marinhas, Araripe, Bárbara e Iracema
Casitas Cubanas
Porto Seguro / Bicos-de-pena
Repetróglifos Caribenhos
Tiradentes / Bicos-de-pena
Uma Primavera Americana
Tiradentes Revisitada
Flores Novíssimas
Pinturas Recentes
Flores Cubanas
Jarros de Flores
O Brasil Nunca Mais o Brasil
Tiradentes, o Animoso Alferes
Caraíva dos Reflexos
A Dança do Tamanduá Bandeira
Califórnia / San Simeon
Porto Seguro
Cavalo de Tiradentes
Trancoso, Casinhas e Marinhas
O Tarot de Oscar Araripe
Ceará / Marinhas, Araripe, Bárbara e Iracema
Casitas Cubanas
Porto Seguro / Bicos-de-pena
Repetróglifos Caribenhos
Tiradentes / Bicos-de-pena
Uma Primavera Americana
Tiradentes Revisitada
Flores Novíssimas

Minha Vida de Pintor / XXIX

Mais ainda que as cores, como explicar o bom gosto? Deveria eu, o menos letrado dos pintores e o mais imagístico dos escritores e o que menos sabia?Havia livro de tudo. Menos de bom-gosto. Concluo portanto que tenha sido o bom gosto a fazer o universo. Era a luz. A luz qque outrora brilhou em minha vida, ou seja, o desejo da vida. Arte era desejo. Como um filho mimado, nada pródigo eu faria o mundo conforme o desejasse. Não voltava, não errava. Minha tela o permitia, exigia. Sem erro nem retorno. Mas, faltavam tratados que o discernissem, explicando-lhe as origens das origens e todos os porquês destas origens mais problemáticas que misteriosas. Pintar explicava tudo e melhor, visto ser a realidade uma projeção do malfadado olho. Este, guiava-se pela mão. Tivesse eu sido o artista do universo e faria este olho de vidro, para que pudesse quebrar de vez em quando, e tudo ver de novo e novamente. Precisa-se : um partido contra o olho. Mas, deixemos as artes para os políticos assim como as hortas e os pomares para os militares. O que importa é que o bom-gosto nascia da arte, esta mãe maravilhosa. Mas, vá lá se explicar isto. Eu, einstenianamente, proporia uma fórmula: A = v2xX. A é igual a vida ao quadrado vezes X, sendo X o xis da questão. Assim se pode afirmar ter sido o  bom gosto a criar a arte. É o mais provável. Limito-me a pintar. É muito fácil, basta pintar. Ou seja,  o bom gosto bem poderia ser uma vontade, o simples desejo. Deve ter sido um choque, um esbarrão entre o nada e a coisa nenhuma, pois como imaginar que aquelas bolinhas iriam ficar tão bem naquela toalha de jarra de flores. Como por a Ladeira da Matriz de Tiradentes, a mais bela do mundo, em 1.10m de altura por 0.86m de largura? Ou seja, o bom-gosto, como tudo ademais, criava formas que por agradarem seletivamente iam criando vida própria e alheia, ao tempo em que as cores apareciam como os lírios nos campos. Foi honesto e criou cores. Estava tudo ali, era humano.  Às vezes, parecia uma destas invenções chinesas, a natureza e suas belas cores, também, e principalmente nas nuvens do céu, nos pássaros, nos peixes, nas flores, mas nada superava as cores daquela jarra de flores no Alto de São Francisco. Os quadros, as pinturas vestidas, não dizem nada, diferente da literatura, que tudo diz. A pintura não tenta. Desejo ficar com este Alto de São Francisco, mas, devo vendê-lo. O pintor que mais vende quadros em Minas foi o que deu mais anéis. Anéis e dedos -, iam-se os quadros, os anéis e os dedos. Mas,  pintor armadilhado que se safa com as máquinas, tenho obras em casa para fazer, os bancos me atormentam (na verdade já nem tanto), enfim despesas, esta eletricidade caríssima, esse telefone de ladrões, os planos de saúde da guerra, ou seja, muitas despesas pela frente, ao redor e agora. E lá se vão as obras, os dedos, os anéis que nem uso. Que Richard Dawkins os tenha em bom lugar, numa casa simpática, fazendo olhos, pondo estética no sangue das crianças. Eu sou um pintor familiar, pinto por isso. Um epicurista-araripista. Já não suporto o frio, e ainda com uma vida de pintor para viver e contar. Seria mesmo um desperdício.
Flores para los vivos / Miami / USA / 2004
Bem, entre a arte e as cores, o bom gosto estava mais próximo da vida, tendo também natureza primordial. Imaginemos o olhar. Se possível, antes mesmo do olho. Aquela percepção do outro, aquele namoro intercósmico, do nada com a coisa nenhuma, de que falava anteriormente. Era algo assim - amava, odiava, parecia real. O pincel desenhava, mas podia pintar ao mesmo tempo, logo o bom-gosto ia se manifestar absoluto e a tal relatividade  na verdade anti-einsteiniana, essa que tem por aí, ia tentar reduzir tudo a coisa nenhuma. Era e não era, e, se era assim, não tinha arte, e nem bom gosto. Assim, eu pintava e pronto, quando assinava acabava.Na pintura era Deus, sabia que o pintado era meu e que não havia Deus nenhum a pintar por mim. Pobre Pavarotti. O Papa disse que ele era um desejo de Deus. Pastasciuta - eu diria. Porém, pensar, me literar,  me fazia pensar em Deus. E assim eu pintava -, se prestasse eu gostava e se gostava assinava. Se não...mas nunca houve graças a mim nenhum senão. Nunca errei, nunca apaguei, só consertei. Sem erro, com conserto. E não venham os senhores pseudo-einsteinianos me dizer que errei, que tudo apaguei e nada consertei, pois refuto, embora me pareça até simpático. Mas, enganam-se aqueles que crêem serem os pintores como os marceneiros, somos mais consertadores, como os encanadores, os ferreiros -, e que se façam logo as mãos, pois não posso me sistematizar de tanto pintar. Pintar não loucamente, mas sistematizando o louco. Não pensar, pintar. Pintar e pensar, era bem melhor.. Enganam-se aqueles contudo que pensam que estou pintando um novo mundo ou um mundo novo, mesmo que meus jarros de flores se prestem para uma revolução na pintura, ou meu texto uma língua para os novos séculos, enganam-se, dizia, pois enquanto pinto penso, por exemplo, em Bin Laden. Pinto as igrejas de Minas e penso em Bin Laden. Como estaria Bin Laden agora? Estaria rezando? Imaginem se Bin Laden não acreditasse em Alá? Seria presidente dos Estados Unidos, por exemplo -, penso no que diria ao Lula se o encontrasse em Santo Antônio do Leite, etc. O que diria? Não sei. Eu acho que não diria nada -, ou seja, sorte minha que pensava pouco, descansado a pintar. Sistemático pintor, pois, como todos, como imaginar que uma coisa tão fácil e simples como pintar, coisa mesmo de crianças, podia ser tão vital? Bin Laden; talvez o convencesse a pintar. Mas como fazê-lo saber que ali estava o mais belo tesouro enterrado, o lírio do campo, o mais belo ouro do mais belo livro do Afeganistão? É claro que eu não sabia, e nem ninguém me havia dito, nem eu lido. Outra vez, como o bom-gosto, não havia livros que explicassem a pintura, esta filha do bom gosto. Podia-se amar as mulheres, preferindo uma só, ter lindos e promissores  filhos, exibir-se nas mostras, cultivar-se nas praias, ter muito prazer, irrestrito até, mas, nada melhor que pintar. Talvez jardinar. Mas, pra mim, ainda preferia pintar. E então porque não ia pintar ao invés de ficar contando histórias indiscretas de amores quase secretos como este do belo nada com a linda coisa nenhuma? Bem, meus pincéis e minhas tintas ainda estavam na Bahia e eu aqui em Tiradentes tirei este mês para adiantar estas histórias da vida da pintura ou da pintura da vida, pois, se querem saber, ando desconfiado que a pintura tenha feito a vida. Sei que as religiões que infestam o planeta nos dias de hoje, e de ontem, não vão gostar nada disto. Mas, aqui afirmo: a pintura tem feito a vida. E posso provar. Meu braço sem úmero estava morto, não houve milagre algum, nada o ligava ao cérebro, era uma mão solta e sozinha, e eu pintava como Ni Tsan. E ainda mais fantástico: melhor do que antes. Não fosse a pintura e  ainda hoje não estaria alçando o braço até o queixo. E não fosse ela (e aí já não sei se a pintura ou a mulher) e eu teria parado com a pintura. Sorte eu pintar como escriba, na horizontal, perco um pouco de elegância, mas, em compensação, posso andar em volta da tela, sem ter que pisá-la. E mais: posso pintá-la por trás, resolvendo na prática, facilmente e de uma vez  a grande questão da transparência na pintura, tema de enlouquecimento de muitos artistas, ao fazer de uma cor duas, com a mesma tinta e uma só pincelada.
Flores e Frutos para los vivos / Miami / USA
Um mérito para lembrar. Melhor, o Ferreiro. A arte pedia rapidez das mãos, asas dos dedos. Fazer do 1 um 3, muito rapidamente. Era uma questão de velocidade. Um pintor não fala de morte, é coisa parada. Pode pintar a morte viva, mas não a morte morta. Deve saber usar as mãos, a rapidez das mãos que tudo transforma.É preciso mudar a chuva. Dance, dance comigo. Um gato? Em Tiradentes os telhados são quase coletivos, tal a vizinhança das casas, de modo que os gatos são "coletivos” também. Gosto de pintá-los quando do cio, sobre estes telhados, tendo ao fundo a Serra de São José. A imobilidade me cega, por isso pinto. Curar-se pelas mãos, dar-se ao movimento. Esquecer de vez o sapateiro que não vai além das sandálias. Passo o dia tentando ver a ponta do nariz, como outrora por três anos olhei os peixes. Sem espelho, é claro. Discernimento, nada de espelho. Reflexos. Pense nos títulos que gostaria de publicar. Nada mais. Sonhe o lugar, o logotipo. O resto é imobilidade, não tem nada de Ferreiro. Are you a Blacksmith?
Borboleta é mesmo uma linda palavra em português, mas, em compensação, Paloma é uma maravilha em espanhol. Pintar como voam as pombas. Primeiro as colorir. Bleu, Blanc, Rouge, se você é um nacionalista francês -, verde e amarelo, se for torcedor do Brasil.
Uma coisa eu estou certo: nem o bom gosto nem a pintura criaram Deus. Logo...
Flores para los vivos / Miami / USA / 2004
Capítulos
 
Início Algumas Exposições Coleções Posters O Pintor Artigos Minha Vida de Pintor A Fundação Links Arte para Salas de Aula Contato
A Dança do Tamanduá Bandeira
Califórnia / San Simeon
Porto Seguro
Cavalo de Tiradentes
Trancoso, Casinhas e Marinhas
O Tarot de Oscar Araripe
Ceará / Marinhas, Araripe, Bárbara e Iracema
Casitas Cubanas
Porto Seguro / Bicos-de-pena
Repetróglifos Caribenhos
Tiradentes / Bicos-de-pena
Uma Primavera Americana
Tiradentes Revisitada
Flores Novíssimas
Pinturas Recentes
Flores Cubanas
Jarros de Flores
O Brasil Nunca Mais o Brasil
Tiradentes, o Animoso Alferes
Caraíva dos Reflexos
A Dança do Tamanduá Bandeira
Califórnia / San Simeon
Porto Seguro
Cavalo de Tiradentes
Trancoso, Casinhas e Marinhas
O Tarot de Oscar Araripe
Ceará / Marinhas, Araripe, Bárbara e Iracema
Casitas Cubanas
Porto Seguro / Bicos-de-pena
Repetróglifos Caribenhos
Tiradentes / Bicos-de-pena
Uma Primavera Americana
Tiradentes Revisitada
Flores Novíssimas
Exposições
Currículo
Vida, Literatura e Afins
Literatura
O Pintor
A Dança do Tamanduá Bandeira
Califórnia / San Simeon
Porto Seguro
Cavalo de Tiradentes
Trancoso, Casinhas e Marinhas
O Tarot de Oscar Araripe
Ceará / Marinhas, Araripe, Bárbara e Iracema
Casitas Cubanas
Porto Seguro / Bicos-de-pena
Repetróglifos Caribenhos
Tiradentes / Bicos-de-pena
Uma Primavera Americana
Tiradentes Revisitada
Flores Novíssimas
Pinturas Recentes
Flores Cubanas
Jarros de Flores
O Brasil Nunca Mais o Brasil
Tiradentes, o Animoso Alferes
Caraíva dos Reflexos
A Dança do Tamanduá Bandeira
Califórnia / San Simeon
Porto Seguro
Cavalo de Tiradentes
Trancoso, Casinhas e Marinhas
O Tarot de Oscar Araripe
Ceará / Marinhas, Araripe, Bárbara e Iracema
Casitas Cubanas
Porto Seguro / Bicos-de-pena
Repetróglifos Caribenhos
Tiradentes / Bicos-de-pena
Uma Primavera Americana
Tiradentes Revisitada
Flores Novíssimas
Arte nas Escolas / Arte-educação é fundamental / Educa, ensina, sensibiliza e eleva os professores e os alunos.
Escola Caracol / Porto Alegre / RGS
A Dança do Tamanduá Bandeira
Califórnia / San Simeon
Porto Seguro
Cavalo de Tiradentes
Trancoso, Casinhas e Marinhas
O Tarot de Oscar Araripe
Ceará / Marinhas, Araripe, Bárbara e Iracema
Casitas Cubanas
Porto Seguro / Bicos-de-pena
Repetróglifos Caribenhos
Tiradentes / Bicos-de-pena
Uma Primavera Americana
Tiradentes Revisitada
Flores Novíssimas
Pinturas Recentes
Flores Cubanas
Jarros de Flores
O Brasil Nunca Mais o Brasil
Tiradentes, o Animoso Alferes
Caraíva dos Reflexos
A Dança do Tamanduá Bandeira
Califórnia / San Simeon
Porto Seguro
Cavalo de Tiradentes
Trancoso, Casinhas e Marinhas
O Tarot de Oscar Araripe
Ceará / Marinhas, Araripe, Bárbara e Iracema
Casitas Cubanas
Porto Seguro / Bicos-de-pena
Repetróglifos Caribenhos
Tiradentes / Bicos-de-pena
Uma Primavera Americana
Tiradentes Revisitada
Flores Novíssimas
Exposições
Currículo
Vida, Literatura e Afins
Literatura
O Pintor
A Dança do Tamanduá Bandeira
Califórnia / San Simeon
Porto Seguro
Cavalo de Tiradentes
Trancoso, Casinhas e Marinhas
O Tarot de Oscar Araripe
Ceará / Marinhas, Araripe, Bárbara e Iracema
Casitas Cubanas
Porto Seguro / Bicos-de-pena
Repetróglifos Caribenhos
Tiradentes / Bicos-de-pena
Uma Primavera Americana
Tiradentes Revisitada
Flores Novíssimas
Pinturas Recentes
Flores Cubanas
Jarros de Flores
O Brasil Nunca Mais o Brasil
Tiradentes, o Animoso Alferes
Caraíva dos Reflexos
A Dança do Tamanduá Bandeira
Califórnia / San Simeon
Porto Seguro
Cavalo de Tiradentes
Trancoso, Casinhas e Marinhas
O Tarot de Oscar Araripe
Ceará / Marinhas, Araripe, Bárbara e Iracema
Casitas Cubanas
Porto Seguro / Bicos-de-pena
Repetróglifos Caribenhos
Tiradentes / Bicos-de-pena
Uma Primavera Americana
Tiradentes Revisitada
Flores Novíssimas